Lifting Facial

Lifting Facial – Face Lift – Ritidoplastia

Com o surgimento de novas técnicas, a cirurgia da face torna-se mais atraente, principalmente por causa dos resultados cada vez mais satisfatórios.

O objetivo do procedimento é trazer simetria e atenuar os efeitos do tempo, tais como gravidade, exposição solar e estresse do cotidiano, que antecipam os sinais do envelhecimento. Essas alterações incluem todos os componentes da estrutura facial: com a idade, o crânio fica menor, a parte da gordura é absorvida, os músculos ficam mais flácidos e a pele perde elasticidade.

Como consequência, surgem sinais característicos, como excesso de pele, acentuação das rugas ao redor dos olhos e na testa, além de sulcos entre o nariz e a boca. Há também queda das sobrancelhas e das bochechas. Por fim, há excesso de pele embaixo do pescoço. É comum questionar se existe uma idade apropriada para realizar a cirurgia da face. A melhor resposta é: quando os sinais de envelhecimento ficam evidentes mesmo após o repouso e com a aplicação de maquiagem. Em geral, os melhores candidatos para esta cirurgia são pessoas com sinais iniciais de flacidez na face e pescoço, elasticidade da pele relativamente preservada e uma estrutura óssea forte e bem definida. A maioria dos pacientes tem entre 40 e 60 anos, embora a cirurgia possa ser realizada com ótimos resultados em idosos.

O objetivo de realizar uma ritidoplastia é rejuvenescer e, assim, melhorar a autoestima. Porém, a cirurgia não é capas de modificar radicalmente a aparência, nem devolver a saúde e a vitalidade da juventude. Portanto, é importante avaliar as expectativas e expô-las ao cirurgião.

Uma cirurgia bem realizada propicia uma aparência rejuvenescida que corresponde à aparência de cinco a 10 anos atrás. Entretanto, vários fatores contribuem para o resultado em longo prazo, como genética, idade, doenças, nutrição e estilo de vida. Somente é possível garantir que o indivíduo com indicação correta continuará a ter uma aparência melhor do que antes de ter operado.

 

Cirurgia –

Cirurgia da Face (Ritidoplastia) promove a remoção de gordura excessiva, reposiciona a musculatura subjacente e retira os excessos de pele da face e pescoço. Uma cirurgia bem executada tem como princípio o reposicionamento das estruturas anatômicas que estão abaixo da pele e que sofreram uma queda. Com a retirada da pele flácida, é possível proporcionar uma aparência mais jovial em um rosto com marcas do tempo.

Existem vários métodos e caminhos existentes que envolvem a Cirurgia de Face. Neste procedimento, repletos detalhes individuais são executados por meio de incisões possíveis de serem escondidas de acordo com a característica física de cada pessoa. A extensão das cicatrizes é bastante variável; depende do grau de flacidez presente. A tendência atual é reduzi-las, desde que não comprometa o resultado final. Em pacientes com sinais leves de envelhecimento, a técnica conhecida como “minilifting” – quando a cicatriz fica atrás das orelhas, – pode ser indicada. Finalmente, a associação de procedimentos complementares como laser, dermoabrasão, aplicação de toxina botulínica e peeling podem oferecer resultados satisfatórios.

 

Pós-operatório –

 

  • Evitar atividades físicas e limitar os movimentos bruscos com o pescoço;
  • Deitar com o tronco elevado por almofadas e travesseiros. Não deitar de lado ou de bruços, até que seja autorizado pelo seu cirurgião;
  • Lavar a cabeça somente com a autorização da equipe cirúrgica (geralmente no dia seguinte à cirurgia);
  • O inchaço e o aparecimento de manchas roxas chamadas equimoses são normais após esta cirurgia e tendem a se concentrar na região da mandíbula e ao redor dos olhos e orelhas. O resultado é uma leve distorção na aparência da face e uma sensação de rigidez no local. Isto ocorre graças à grande vascularização local e não significa que algo errado aconteceu durante a cirurgia;
  • A aplicação de compressas geladas na face e nos olhos durante os primeiros 5 dias visa acelerar o processo de reabsorção da maioria do inchaço, que normalmente ocorre de duas a três semanas;
  • A realização de drenagem linfática e o emprego de uma faixa elástica no pescoço podem acelerar ainda mais o processo de recuperação;
  • Na maior parte dos casos, a reabsorção total do inchaço e acomodação final dos tecidos costuma ocorre após três a seis meses. Portanto, a apreciação do contorno final só é possível após este período;
  • A proteção contra os raios solares é fundamental durante o pós-operatório com o intuito de maximizar a qualidade das cicatrizes, acelerar a reabsorção do inchaço e evitar manchas na pele. Portanto, a utilização de filtro solar, chapéu, óculos de sol e lenços deve ser rotineira durante os primeiros meses.
  • A aplicação de hidratantes e maquiagem é permitida de três a cinco dias pós o procedimento, respectivamente, sempre longe das cicatrizes;
  • Os pontos são normalmente removidos entre sete e 14 dias;
  • Quando associada com a blefaroplastia, os pontos das pálpebras costumam ser retirados após o terceiro dia;
  • Exercícios intensos como ginástica aeróbica, corrida e ciclismo podem ser realizados após um mês. Esportes de contato, tênis e outros esportes com bola devem ser evitados por dois meses.

Observação importante –

A necessidade de recorrer ao minilifting dependerá de cada caso em particular. Por isso, é fundamental a indicação criteriosa e correta por parte do cirurgião para atender aos anseios do paciente. É muito comum associar o lifting à outras técnicas de rejuvenescimento, como o peeling para o tratamento da pele, preenchimentos faciais (como enxerto de gordura da própria paciente e preenchedores com ácido hialurônico), uso de toxina botulínica e implante de mento. Todo este arsenal sempre busca um resultado natural, sem a aparência de um rosto operado e estigmatizado, isto é, o inverso daquele todo esticado, sem expressão.

(Visited 158 times, 1 visits today)